segunda-feira, 31 de março de 2008

Mais um parceiro, na luta contra o câncer


Hoje, Patrick Dempsey inaugura um centro de apoio a doentes de câncer, o "Centro Patrick Dempsey Para Esperança e Cura do Câncer", em sua cidade natal, no estado americano do Maine. O centro será instalado no "Central Maine Medical Center" e vai oferecer programas educacionais e de apoio a pacientes com câncer e suas famílias.

A mão do ator, que venceu a luta contra um câncer de ovário nesse mesmo hospital onde o centro vai ser criado, foi a inspiração para o "Dr. McDreamy", o queridinho de "Grey's Anatomy", inaugurar o instituto.

O Centro estará aos cuidados da irmã de Patrick e ele participará de campanhas educativas e outros projetos para a prevenção e tratamento da doença.

Boa notícia, essa, pra nós. Péssima notícia pro câncer. Bem feito!
Nós venceremos.

domingo, 30 de março de 2008

Comentário ainda melhor que o post

Tá lá no Blog do Sidney, pra quem quiser conferir, post de 23.03.08 - Empresas punidas por anúncios indevidos.

Ele se refere ao mais recente Boletim do Conar - Conselho Nacional de Auto-regulamentação Publicitária - publicação que traz a informação de que no ano passado o Conselho de Ética da entidade julgou 346 representações que pediam avaliação sobre abusos em anúncios veiculados na mídia brasileira.

Então, ele cita alguns comerciais que estavam sendo veiculados e que foram objeto de representação por pessoas ofendidas por seu conteúdo:

"- Skol: 'No anúncio, vários amigos chegam para um churrasco e começam a se perguntar quem trouxe a carne, no que todos respondem que trouxeram apenas a cerveja. Ouve-se um miado de gato, um dos amigos diz em tom bem-humorado que o filé miau está garantido e na seqüência ouve-se barulho de panelas.'
O Conar, acertadamente, votou pela sustação da peça por entender que a anunciante não levou em conta a sensibilidade de pessoas que dedicam afeto especial a bichos de estimação e tampouco atenta para as mais recentes tendências internacioanais de busca de proteção de animais.

- Matte Leão: A empresa apregoou em propaganda os efeitos positivos do seu produto chá-mate. Entre eles que o mesmo seria capaz 'frear os efeitos do tempo' e que o produto 'auxilia no emagrecimento'.
O relator do Conar, por sua vez, não embarcou nessa e destacou que o anúncio atribui propriedades de remédio ao Matte Leão, transferindo-lhe as potencialidades medicinais que a erva-mate possui, o que contraria o disposto no Código Brasileiro de Auto-regulamentação Publicitária.

- Coca-Cola: A Pepsi recorreu ao Conar exigindo a retirada de campanha publicitária do produto Aquarius e Aquarius Fresh por induzirem o consumidor a pensar que os produtos são 'águas e não refrigerantes'. Abusando da boa-fé do consumidor.
Por maioria de votos, os membros da Câmara revisora mantiveram a decisão de advertência à Coca-Cola, e a complementaram em relação ao anúncio de mídia impressa, pedindo sua alteração de modo que seja retirada a figura da gota de água da frente da descrição do tipo do produto, tornando-o legível, para facilitar a identificação da sua natureza."




E aí vem o melhor! O comentário de um leitor, de São Paulo:

Rafael - SP
Pena que o Conar não pode julgar também as propagandas dos partidos políticos.
Não passaria uma! Além de mentirosas, vendem um produto revestido de segundas intenções.
As propagandas de produtos e serviços são singelas de maldades em relação às políticas.

sábado, 29 de março de 2008

Feliz Sábado!!


Tenha um sábado feliz!

Hoje, ocupe-se em demonstrar amor. Faça uma pessoa sorrir, ajude um idoso a atravessar a rua; de repente, quem sabe, cante uma canção que faça alguém dar risadas, ou enxugue a lágrima daquele que chora; seja uma companhia para quem se sente sozinho, deseje "bom dia" ao vizinho. Sábado é dia de fazer alguma coisa pelos outros. É dia de pensar no próximo. E o próximo, não muito raramente, está mesmo bem aí a sua frente, e você nem percebe.
Acredite: a alegria que você leva aos outros sempre retorna para fazê-lo feliz!

E mais tarde, quando a noite chegar, mostre também o seu amor pela vida, mostre que você se importa! Das 20h às 21h deste sábado apague todas as luzes, desligue todos os eletrodomésticos e eletroeletrônicos. Em fevereiro do ano passado nós apagamos tudo por cinco minutos e já foi impactante. A idéia é a mesma: conscientizar os consumidores, a mídia e os governos da imprescindibilidade de evitar desperdícios e da imperiosa necessidade de agir rapidamente para interromper o ciclo de mudanças climáticas que avassala o mundo. Participe do movimento.
Porque com o mesmo respeito com que você trata a natureza ela haverá de tratar você.

sexta-feira, 28 de março de 2008

Outras paixões

Eu agora estou apaixonada por Manoel de Barros. Pelos seus versos. Pelo fôlego e pelo ritmo dos versos. Pela sua história. Estou encantada por todas as suas palavras.

O LÁPIS

É por demais de grande a natureza de Deus.
Eu queria fazer para mim uma naturezinha
particular.
Tão pequena que coubesse na ponta do meu
lápis.
Fosse ela, quem me dera, só do tamanho do
meu quintal.
No quintal ia nascer um pé de tamarino apenas
para uso dos passarinhos.
E que as manhãs elaborassem outras aves para
compor o azul do céu.
E se não fosse pedir demais eu queria que no
fundo corresse um rio.
Na verdade na verdade a coisa mais importante
que eu desejava era o rio.
No rio eu e a nossa turma, a gente iria todo
dia jogar cangapé nas águas correntes.
Essa, eu penso, é que seria a minha naturezinha
particular:
Até onde o meu pequeno lápis poderia alcançar.


Acompanhe os cinco capítulos da série "Paixão pela Palavra", exibida pela TV Futura. A biografia de Manoel de Barros. Você também vai se encher de paixão...

Chatear e encher - por Paulo Mendes Campos

Segunda-feira à noite eu estava lendo um post antigo, no Turma do Amigão, que me fez lembrar da fantástica coleção "Para Gostar de Ler", da Editora Ática; livrinhos que, realmente, nos faziam gostar de ler, na infância e na adolescência.
A crônica "Chatear e encher", do Paulo Mendes Campos, nunca saiu da minha cabeça. E lembro-me muito bem do dia em que eu, meus irmãos e minha prima resolvemos brincar de chatear e encher. E vou te contar: nós nos divertimos pacas!!



"Um amigo meu me ensina a diferença entre 'chatear' e 'encher'.
Chatear é assim:
Você telefona para um escritório qualquer na cidade.

- Alô! Quer me chamar por favor o Valdemar?
- Aqui não tem nenhum Valdemar.

Daí a alguns minutos você liga de novo:
- O Valdemar, por obséquio.
- Cavalheiro, aqui não trabalha nenhum Valdemar.
- Mas não é do número tal?
- É, mas aqui não trabalha nenhum Valdemar.

Mais cinco minutos, você liga o mesmo número:
- Por favor, o Valdemar já chegou?
- Vê se te manca, palhaço. Já não lhe disse que o diabo desse Valdemar nunca trabalhou aqui?
- Mas ele mesmo me disse que trabalhava aí.
- Não chateia.

Daí a dez minutos, liga de novo.
- Escute uma coisa! O Valdemar não deixou pelo menos um recado?
O outro desta vez esquece a presença da datilógrafa e diz coisas impublicáveis.

Até aqui é chatear. Para encher, espere passar mais dez minutos, faça nova ligação:

- Alô! Quem fala? Quem fala aqui é o Valdemar. Alguém telefonou para mim?"

Paulo Mendes Campos. “Chatear e encher”.
Para gostar de ler. vol. 2. São Paulo, Ática, 1983. p. 35.

quinta-feira, 27 de março de 2008

Séries da TV - Desperate Housewives

Gabrielle Solis
Eva Longoria

Imposto de Renda - 2008 - Dica útil

DÚVIDA SOBRE DEPENDENTES.

Dúvida:
"Sou Vascaíno e pago carnê de sócio. Estou fazendo minha declaração de Imposto de Renda. Como pago a prestação todo mês, devo lançar o Vasco como meu dependente? "


Resposta dos Auditores da Receita:
"Claro que não. Somente deve lançar dependente na Declaração de Imposto de Renda quem ganhou alguma coisa em 2007. No seu caso, uma simples Declaração de isento é o suficiente."



Ahahahaha!!
Esta vai especialmente pro Beto, que, envergonhado com o papelão do seu time nos últimos tempos, anda sumido daqui...

quarta-feira, 26 de março de 2008

Outros ares

Um dia você está mudo, tão à flor da pele que qualquer beijo de novela o faz chorar...
No outro dia tudo, praticamente tudo são flores.
U-au!

Enquanto os brasileiros seguiam vendo a final de mais um BBB...

...o que faziam "los hermanos", nesta terça à noite??


Pode-se falar mal dos caras.
Mas não se pode negar que eles não se contentam em viver de esperança...

terça-feira, 25 de março de 2008

1968 * Passeata contra a censura

Você reconhece as moças da foto, na passeata?
Olhe direitinho. Você conhece.



“Eva Tudor, Tônia, Eva Wilma, Leila, Odete e Norma, mulheres do meu tempo, liderando uma passeata em 1968. Minha maior produção são os cartazes de protesto, da retomada dos sindicatos (as famosas Chapas Dois), dos shows estudantis, as camisetas, as marcas e slogans políticos que fiz às centenas, em preto e branco, durante vinte anos que se perdem por aí. Essa foto resgata um deles: um símbolo para mim.”

segunda-feira, 24 de março de 2008

Ou se é médico ou se é falastrão

O que leva uma pessoa a imaginar que sua vida, seu dia, com quem almoçou, quando se formou, a que horas acorda, onde mais trabalha, do que gosta, blá blá blá blá, interessam mesmo a alguém que está numa sessão de RPG??

É querer demais fazer "Reeducação Postural Global" em silêncio?
É ser antipática demais não comentar a interessantéeeeeerrima vida do fisioterapeuta, enquanto ele acerta sua coluna?

Sensibilidade. Sen-si-bi-li-da-de. Elementar, meu caro Watson.
Quando você perceber que quem ouve o que você está falando só faz um "é..." "pois é..." "humm..." "sei...", acredite: seu papo não está agradando. Mude de assunto.
Ou melhor: mude.
Aprenda a conviver com as pausas.
Tenha intimidade com o sossego.
O silêncio é uma bênção.

Apaixonada pelo professor


Quem nunca se apaixonou por um professor, meninas?
E aí... acontece que eu me apaixonei.
Muito bem, não foi exatamente uma paixão, mas foi uma coisa assim meio parecida com isso; e como é a única história de paixão por professor que eu teria pra contar, eu digo que me apaixonei, ou seria a única mulher no mundo a não ter uma história dessas. Conseqüentemente, mulher infeliz. a-ha!!

E o professor (aos meus olhos) era a cara do Celulari. Aos meus olhos. Porque nem de longe ele tinha aquele par de olhos azuis... Mas tinha os cabelos pretos, também começando a ficar grisalhos, o som do riso, e a boca. Sim! A boca. Sei lá se a boca era mesmo igual. Mas eu achava. E como nunca havia colocado os dois, lado a lado, para fazer o teste, continuei achando a vida toda.

Acho que nunca dei bandeira; mas acho que ele tem uma história pra contar também. "He fell in love with me"... Talvez no dia em que eu disse que quando via o Edson Celulari, vai entender!, eu lembrava dele. Ora, ora, qualquer um se apaixonaria por alguém que vê imensa semelhança entre um gato e uma onça, não? Ainda mais se por trás houver um sorriso de boneca...

Bem, ele não foi meu professor a vida toda...
Mas o que importa dizer é que a vida inteira eu vou achar que ele tem a boca do Edson Celulari, e nem me importo com quem insiste em dizer, por aí, que a única coisa feia que o moço da tv tem é justamente a boca. Vai entender paixão...

Se a gente não entende o presente, vai querer entender o passado??

domingo, 23 de março de 2008

Ele não está aqui porque já ressuscitou

"Porém bem cedo, no domingo de manhã, elas levaram perfumes ao túmulo - E verificaram que a enorme pedra que fechava a entrada havia sido rolada para um lado. Então entraram - mas o corpo de Jesus havia desaparecido!

Ficaram ali assustadas, procurando imaginar o que poderia ter acontecido com o corpo. De repente, apareceram dois homens diante delas, vestidos de mantos tão brilhantes que os olhos delas ficaram ofuscados. As mulheres ficaram amedrontadas e se curvaram diante deles.

Então, os homens perguntaram: 'Por que vocês estão procurando no túmulo Alguém que está vivo? Ele não está aqui! Ressuscitou!'..."
Lucas 24: 1-7


E, unicamente porque Ele vive, posso acreditar que há esperança para este mundo; há esperança de vida, há esperança de renovação.
Que a esperança de uma nova vida, trazida com a morte e ressureição de Cristo seja um bálsamo para as nossas dores. Que tenhamos o necessário cuidado para não crucificá-lo de novo, com nossas transgressões ao amor e à retidão com que Ele nos ensinou a viver.
Paz, saúde, amor e harmonia para você e sua família.
Que a Páscoa tenha um significado especial na sua vida.
Feliz Páscoa!!

sábado, 22 de março de 2008

Por que aquele não foi um sábado feliz

"...Era agora meio-dia, e as trevas abateram-se sobre toda a terra durante três horas, até as três da tarde. A luz do Sol desapareceu, e o véu pendurado no templo rasgou-se em dois. Jesus disse com voz forte: Pai, entrego-te o meu espírito. E com estas palavras morreu. Quando o oficial romano viu o que sucedera, deu louvor a Deus e disse: Não há dúvida de que este homem estava inocente.


A multidão que tinha vindo para assistir à crucificação, depois de Jesus ter morrido, voltou para casa profundamente triste. Entretanto, os amigos de Jesus, incluindo as mulheres que o tinham seguido desde a Galiléia, encontravam-se à distância a observar a cena.


Um homem chamado José, membro do Supremo Tribunal Judaico e vindo da cidade de Arimatéia, na Judéia, foi ter com Pilatos e pediu-lhe o corpo de Jesus. Era um homem bom e reto que esperava a vinda do reino de Deus e que não concordara com as decisões e medidas dos outros chefes judaicos.




Assim desceu o corpo de Jesus e envolveu-o num lençol, colocando-o num túmulo ainda por estrear, escavado numa parede de rocha. Isto aconteceu ao fim de uma tarde de sexta-feira, dia de preparação para o sábado. Enquanto o corpo era levado, as mulheres da Galiléia acompanharam-no e viram-no ser transportado para dentro do túmulo.


Depois, voltando para casa, prepararam os produtos e perfumes necessários para o ungirem, mas quando terminaram era já sábado, pelo que descansaram todo aquele dia, como exigia a lei judaica."
Lucas 23:44-55


E descansaram no sábado...

sexta-feira, 21 de março de 2008

quinta-feira, 20 de março de 2008

A idade é apenas um número


20 de março de 2008
Fala sério... 50 anos?
Ninguém diz...



A propósito, vou perguntar de novo:
Quantos anos você teria
se não soubesse a idade que tem?

quarta-feira, 19 de março de 2008

Papo de mulherzinha

Você sabe, eu tenho uma quedinha por sandálias e sapatos. Não ligo pra tênis. Só tenho um. Até três anos atrás meu único par de tênis era um da "Pé do Atleta", marca que já não existe há uns dez! rs* Aí, comprei um Reebock, porque eu iria viajar e precisaria de um tênis mais confortável. Comprei. Usei uma vez na viagem e outras três ou quatro vezes aqui, pra andar de bicicleta. Um dia, estava na rua, de sandália vermelha de salto alto e jeans, quando resolvemos ver o Flamengo jogar. Por mais que fosse uma linda sandália vermelha, não tinha nada a ver. Fui "obrigada" a comprar um tênis. Desse eu até gostei. Mas reclamei muito mesmo, do preço. Fiquei convertendo em sandálias, pra você ter uma idéia. Nem foi tão caro, mas um tênis custar mais que uma sandália representa um custo-benefício altíssimo para a minha "personalidade". E então eu continuo com apenas um par de tênis, porque a primeira coisa que fiz, quando cheguei em casa, foi colocar o outro tênis na caixa e dar pra minha tia, porque dois tênis ocupando espaço na minha casa... não dá mesmo!

E tudo isso eu contei pra ressaltar que gosto muito mais de sandálias e sapatinhos. Bolsas também enchem os meus olhos, mas termino me controlando mais, porque uma bolsa equivale, em média, a três ou quatro pares de sapato...

Então, minha irmã, outro dia, bateu os olhos numa bolsa vermelha e achou que era a minha cara. Um vermelho lindo, cheia de divisões, bolsinhos... É claro que ela me conhece e é claro que ela acertou. É claro também que muita gente desejou ter uma irmã assim, bacaninha. Mas não é claro que todos os nossos desejos se realizam...

Então, como eu já tinha uma bolsa nova, deveria comprar mais um sapatinho...Nem precisava ser vermelho, até porque a bolsa nova com vestidinho e "scarpin" pretos ficou um show! O lance era um sapato novo. Aí, você entra na lojinha e escolhe. Paga. Sai.


E volta.
É... volta, porque vê na prateleira de liquidação que a sandália prata que você comprou para o réveillon e que está com pena de usar para não gastar, agora está pela metade do preço.


Você até cogita de comprar outra prata, pra poder gastar a antiga sem pena, mas lembra que se alguém souber disso vai internar você; por outro lado, nem gosta muito do modelo em preto, mas sabe que nesses casos não se pode resistir... Afinal, é a metade do preço. E você gosta tanto de sandalinhas...




p.s.
a pergunta que não quer calar:
vocês querem me internar, mesmo assim??

:o))

Você já esteve em Hong Kong?

Acho que das gentes que eu conheço, talvez só o meu querido Miguelito conheça HK...
Se você nunca viu o sol se pôr, naquela cidade, tampouco o cair da noite e as luzes que se acendem, experimente clicar AQUI.

Quando a imagem aparecer, repare que se você colocar a "mãozinha" do "mouse" lá em cima, vai aparecer uma janelinha indicando as horas - seis e pouco da tarde. Vá arrastando o "mouse", de modo que a mãozinha vá descendo. As horas vão passando, também, até chegar o anoitecer e a noite pronta. Repare as mudanças, na imagem.
Delicie-se.

Valeu pela dica, minha querida Krama!

terça-feira, 18 de março de 2008

Jogo do contente x Tolerância zero

Desde que eu passei a acumular as funções de três pessoas, no meu trabalho, as coisas só têm piorado. Sim, porque se antes eu acumulava as minhas com as da moça que pediu o boné dois dias depois de ter assumido o cargo, e com as do próprio Poderoso Chefão, agora eu acumulo todas essas e mais parte das funções de uma colega que trocou de setor. E, como se não bastasse, a única tarefa que ainda não havia sido delegada pra mim pelo moço da sala ao lado acaba de ser colocada no meu colo, nesta última quinta-feira, discretamente e, percebe-se, para sempre.


Então, no meio disso tudo, antes mesmo da Super Suzi assumir seus quatro poderes (ou já serão cinco?? perdi as contas...), a Krama veio com uma idéia... "- Vamos brincar do jogo do contente?"
E aí começou a temporada Pollyanna na vida de Suzi.
Quando começo a ficar muito "tolerância zero", ela me chama: "Pollyannaaaa...". Eu me recomponho e acho um motivo pra ficar contente.

E de repente eu abro a minha caixa de e-mails e me deparo com essa provocaçãozinha, da Krama. Como se quisesse dar mais subsídios para meu estoque de respostas a perguntas que não deveriam ser feitas!
Eu confesso: ri de todas, até a 5.
A partir da seis, eu chorei de rir!!!
Experimente:

Tolerância zero
1. Quando te vêem deitado, de olhos fechados, na tua cama, com a luz apagada e te perguntam:
- Você tá dormindo?
- Não, tô treinando pra morrer!

2. Quando a gente leva um aparelho eletrônico para a manutenção e o técnico pergunta:
- Tá com defeito?
- Não; é que ele estava cansado de ficar em casa e eu o trouxe para passear.

3. Quando está chovendo e percebem que você vai encarar a chuva, perguntam:
- Vai sair nessa chuva?
- Não, vou sair na próxima.

4. Quando você acaba de levantar, aí vem um bobão (sempre) e pergunta:
- Acordou?
- Não. Sou sonâmbulo!

5. Seu amigo liga para sua casa e pergunta:
- Onde você está?
- No Pólo Norte! Um furacão levou a minha casa pra lá!

6. Você acaba de tomar banho e alguém pergunta:
- Você tomou banho?
- Não, mergulhei no vaso sanitário!

7. Você tá na frente do elevador da garagem do seu prédio e chega um que pergunta:
- Vai subir?
- Não, não; tô esperando meu apartamento descer pra me pegar.

8. O homem chega à casa da namorada com um enorme buquê de flores. Até que ela diz:
- Flores?
- Não! São cenouras.

9. Você está no banheiro quando alguém bate na porta e pergunta:
- Tem gente?
- Não! É o cocô que está falando!

10. Você chega ao banco com um cheque e pede pra trocar:
- Em dinheiro??
- Não, me dá tudo em clips!


Passada a tentação de voltar ao esquema "tolerância zero", volto a me acostumar ao jogo do contente. Afinal, embora às vezes não haja mais espaço nas minhas mesas para colocar processos, e eu precise usar emprestado a de alguém, devo ficar contente porque .........................

"Muitas vezes me acontece de brincar o jogo do contente sem pensar; a gente fica tão acostumada que brinca sem saber. Em tudo há sempre alguma coisa capaz de deixar a gente alegre; a questão é descobri-la." (Pollyanna)

segunda-feira, 17 de março de 2008

Dois anos depois...


Quando, passados dois anos, você ainda sente a falta de alguém que se foi, é porque a vida, a despeito da morte, se encarregou de fazê-los amigos para sempre.
Saudades.

domingo, 16 de março de 2008

Shopping São João da Madeira

Outro dia eu falei, aqui, sobre o Barra Shopping, que transformou os banheiros em verdadeiros "lounges" e achei de péssimo gosto, porque transformaram um ambiente que por sua própria natureza é insalubre, num local tremendamente aprazível, sem, contudo, eliminar a insalubridade, fazendo com que mulheres, que já gostam de ir acompanhadas ao banheiro, fiquem por lá batendo papo e se alimentando de bactérias.

Pois agora Portugal também criou uma novidade nos banheiros de seus shoppings!
Manequins!
No banheiro das mulheres a coisa é mais discreta... Ninguém seria louco de ousar ao ponto de colocar os manequins do lado de dentro da porta...
Agora, como os homens gostam um pouquinho de aparecer, devem ter adorado a idéia de ter alguém ali (do sexo feminino), de olho neles, enquanto fazem o que têm de fazer... hihihihi!!!

Pois é. Depois da mosca, em Amsterdam, essa é a novidade nos banheiros masculinos.



imagens do G1

sábado, 15 de março de 2008

Feliz Sábado!!!



Há muitas razões para que hoje seja um sábado feliz.
Além de todas, hoje é dia de Maria. Dia de 40 anos de Maria.

sexta-feira, 14 de março de 2008

Tristeza de boneca

A tristeza de uma boneca é ser largada numa caixa de brinquedos escura e esquecida pelas crianças. Ou ter os braços e pernas arrancados numa briga de meninas. A tristeza de uma boneca é não poder falar. Imagine a Emília eternamente de boca costurada! Mas a maior tristeza de uma boneca é ter se transformado em gente e depois lhe arrumarem tanto trabalho para fazer num dia de sol, quando poderia estar na praia... ou nos dias de chuva, quando poderia estar brincando ou dormindo...


Está chovendo... há muito o que fazer, mas eu queria mesmo era brincar de qualquer coisa... ou dormir.
Está chovendo... quem vem brincar comigo?

quinta-feira, 13 de março de 2008

Coisas do passado que me fazem rir até hoje

E acontece que há pouco eu estava respondendo um e-mail recebido. De repente, usei, de brincadeira, a palavra "personalidade" no exato sentido que a ela emprestou um senhor que pretendia se oferecer para cortar a grama do jardim da casa de uma professora minha. Ela estava no portão, ele chegou educadamente, de mansinho, se dirigiu a ela e perguntou:
- Posso falar com a sua personalidade???

Ahahahahaha!!!

No embalo... lembrei do bombeiro elétrico que foi consertar o chuveiro dessa mesma professora:
- O senhor já consertou o chuveiro?
- Já.
- Rápido, né?
- É, moça. É preciso muita pessecologia. Muuuuita pessecologia pra consertar assim rápido...

Tô boba, eu acho. Trabalho demais na cabeça, no lugar de sol, dá nisso.
Bobeiras acontecidas há mais de vinte anos, e que ainda me fazem rir!

quarta-feira, 12 de março de 2008

Menino Luxento

Minha mãe alfabetizou os três filhos. E mais a criançada toda da vizinhança.
Aprendemos em casa a ler, a escrever e a fazer as quatro operações matemáticas: somar, diminuir, dividir, multiplicar. Todo mundo devia aprender isso em casa...

Lembro de ter entrado na escola aos seis anos, na primeira série. Meu irmãos foram mais adiantados, mas eu fui para a escola só aos seis anos e para a primeira série porque tinha dor de ouvido, segundo reza a lenda familiar.

Lembro também de um texto. E aí já não sei se era de alguma das cartilhas que minha mãe usava, se era de algum livro da escola dos meus irmãos; acho que era mesmo de um livrinho de Português, da escola; o que eu lembro muito bem é que o texto, durante muitos anos, foi recitado lá em casa, nas implicâncias entre os irmãos. Quando um de nós não queria alguma coisa que a mamãe oferecia, os outros, pra implicar, começavam a recitar e rir, como se assim pudéssemos dar à mamãe a idéia brilhante de pôr em prática os versos do poeminha.

E aí vem a Deize, nos comentários do post de ontem, e relembra publicamente o poema da nossa velha infância...
Pois acredite, Deize, até hoje eu o recito. Até no trabalho, sabia?
Atenção, pra quem não conhece, lá vai:

Menino luxento

- Menino luxento,
você quer pudim?
- Não, mamãezinha,
está muito ruim.

- Menino luxento,
você quer empada?
- Não, mamãezinha,
está muito salgada.

- Menino luxento,
você quer assado?
- Não, mamãezinha,
está muito tostado.

- Menino luxento,
você quer salada?
- Não, mamãezinha,
está muito aguada.

- Menino luxento,
você não quer nada?
- Menino luxento,
Pois tome palmada.

Ahahahahaha!!!

terça-feira, 11 de março de 2008

Oração

"Oh, Deus,
dá-me serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar;
coragem para mudar as coisas que posso;
e sabedoria para perceber a diferença."

E se não for pedir demais, Senhor, dá-me paciência para aturar os transtornos de humor de quem me cerca!

segunda-feira, 10 de março de 2008

Vamos?


Sabe aquele lance do "amigo do amigo"? Pois é. O cara é gente boa, tem bom papo, é diversão garantida, mas você fica sem graça de pintar lá na casa dele porque só o viu algumas vezes, lá na casa do seu amigo. "Mas se tivesse uma festa por lá e meu amigo me convidasse, até que eu iria...", você pensa.

Pois é mais ou menos isso.

Eu tenho um amigo, aliás, um AMIGÃO!, e eu duvido que você já não tenha morrido de rir, por aqui, com os comentários dele. Mas aí, fica com vergonha de aparecer na casa dele
sozinho(a), de mãos vazias, medo de não ter papo, ficar deslocado(a)...

Pois então, eu estou convidando.
Vamos lá! Não é bem que tenha uma festa. Mas acontece que quem escreveu lá, hoje, foi a bonequinha. Então, uma boa desculpa pra chegar, ir abrindo a porta e já entrar comentando. Você é convidado(a)! E amanhã, "enterro dos ossos", você pode voltar, porque como eu sou íntima da família, já estou sabendo o cardápio... E é receita do "chef". Imperdível, posso garantir! Já rolei de rir!!

Vamos?
É pertinho. E o caminho é fácil. É só seguir em frente.
Por AQUI.

domingo, 9 de março de 2008

A criação - parte final

Um pouco ainda pelo Dia Internacional da Mulher, um pouco porque hoje é segunda-feira e é preciso bom humor para encará-la de frente, um pouco porque quem escreveu isso é muito bobo, mas um pouco de bobeira faz bem pro fígado, segue a historinha:

Quando Deus criou Adão e Eva, disse aos dois:
- Tenho dois presentes para distribuir entre vocês; um pra cada um: um deles serve para fazer xixi em pé e...

Adão, ansiosíssimo, interrompeu, gritando:
- Eu! Eu! Eu! Eu! Eu quero, por favor... Senhor, por favor, por favor... Sim? Facilitaria a minha vida substancialmente! Por favor! Por favor! Por favor!

Eva concordou e disse que essas coisas não tinham importância para ela.
Então, Deus presenteou Adão.

Adão ficou maravilhado. Gritava de alegria, corria pelo Jardim do Éden fazendo xixi em todas as árvores. Correu pela praia fazendo desenhos com seu xixi na areia. Brincava de chafariz. Acendia uma fogueirinha e brincava de bombeiro...

Deus e Eva contemplavam o homem louco de felicidade, até que Eva perguntou a Deus:
- E... Senhor, qual é o outro presente?

Deus respondeu:
- Cérebro, Eva, cérebro.

("Não existe piada velha; o que existe é gente velha que já conhece a piada." - Ary Toledo)

sábado, 8 de março de 2008

Pelo Dia Internacional da Mulher

Com licença poética
(Adélia Prado)
Quando nasci, um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta, anunciou:
- Vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.
Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não sou tão feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim, ora não, creio em parto sem dor.
Mas o que sinto escrevo. Cumpro a sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
— dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
Mulher é desdobrável.
Eu sou.

Feliz Sábado pra todos!
Feliz Dia Internacional da Mulher
("de mulher pra mulher..." Suzi!)

Não é fácil. Não é fácil ser mulher. Carregar bandeira... Se somos delicadas, nos vêem como mimadas; se somos aguerridas, pensam que somos infalíveis; se choramos, viramos "mulherzinha"; se seguramos a onda de todos num momento difícil, não se dão conta de que também precisaremos de um colo, mais tarde; se temos sonhos, não enxergamos a realidade; se somos organizadas e planejamos as coisas, somos chatas e perfeccionistas; se temos sucesso profissional, somos damas-de-ferro e ambiciosas; se ganhamos pouco, somos frágeis e modestas demais; se sabemos rir de nós mesmas, somos inconseqüentes; se somos moderadas, não temos senso de humor; se acatamos a opinião do outro, somos "bananas"; se temos nossa própria opinião, somos mandonas; se somos independentes, somos libertinas; se queremos fazer planos juntos, somos dependentes; se sentimos uma pontinha de ciúme, somos neuróticas; se não sentimos, não gostamos; se reclamamos de alguma coisa, somos implicantes; se ficamos quietas, somos misteriosas, estranhas; se ganhamos bem, somos esnobes; se não trabalhamos, somos um peso; se alguém nos paquera, é porque demos confiança; se preferimos estar com nosso amor numa quinta à noite a sair com as amigas, é porque não temos amigas e isso é um absurdo; mas se saímos com as amigas, querem que voltemos antes das dez; se nos dedicamos apenas à família, somos "desperate housewives"; se conquistamos nosso espaço no mundo, acham que não há espaço pra eles no nosso mundo.
Não... não é fácil. Não é nada fácil. Carregar bandeira...
Mas eu sou brasileira,
e não desisto nunca!

sexta-feira, 7 de março de 2008

Processo de envelhecimento

Setenta anos, em 43 segundos.
Finge que você entende o que ele vai dizendo, tá? Mas, pra que um texto, quando a imagem é, realmente, tudo?

quinta-feira, 6 de março de 2008

Polêmica

O Governo do Distrito Federal aprovou uma lei que autoriza o pagamento de despesas com funeral de doadores de órgãos e tecidos cuja família tenha renda mensal de até R$ 120,00. Os custos serão suportados pelo Fundo de Assistência Social do Distrito Federal.
A polêmica: o Brasil veda a comercialização de órgãos, art. 199, §4º, da Constituição da República/88.
Seria esta uma forma de comércio ou uma forma de incentivo à doação, já que, em 2007, das 143 pessoas que perderam a vida por morte encefálica, no DF, apenas 17 doaram seus órgãos? Hoje, há 1.859 pessoas na fila por um transplante no Distrito Federal.
O mesmo §4º do art. 199 do texto constitucional, todavia, prevê que "a lei disporá sobre as condições e os requisitos que facilitem a remoção de órgãos e tecidos e substâncias humanas para fins de transplante, pesquisa e tratamento..."
O que você acha?

quarta-feira, 5 de março de 2008

O tema, de novo, é futebol


Enquanto o Roma eliminou o Real Madrid, o Chelsea, com espetacular colaboração do maridinho alemão, meteu 3 no Olympiacos, da Grécia, pelas quartas-de-final da Liga dos Campeões da Europa.

E enquanto isso, no Maraca, aquele povinho, que devia era se envergonhar desse papo de "pó-de-arroz", tá "sisse" (se sentindo), com a vitória parcial também por 3 x 0 em cima do Arsenal da Argentina.
Vergonha, sim. É que jogando no Fluminense, clubezinho elitista que não aceitava jogadores negros (como de resto, é verdade, os demais clubes da zona sul da cidade, mantido o destaque para o tricolor que era mesmo o mais racista de todos), Carlos Alberto passava pó-de-arroz no rosto para 'ficar mais claro' e ser melhor aceito nas Laranjeiras.
Mas um clube que se orgulha de ter sido campeão da terceira divisão pode se orgulhar também de se identificar com um símbolo do preconceito que o caracterizava... Deixa os caras.

Bem, 3 5 x 0, por enquanto. Continuo torcendo pro Flu. Pro Flu... se dar mal. Ainda tem tempo Não dá mais tempo.
hohohoho!!



p.s.
a musiquinha cantada nas arquibancadas do Maracanã: "...eu sou do time 30 vezes campeão..." - Contando com a "Série C", meus senhores??? kkkkkkkkkk

Pena que não dá pra contar com nenhuma vitória na Segunda Divisão, ou seriam 31, ou 32...

Vamos ver se eu me lembro direitinho da história do "Flusão":
Rebaixado da 1ª para a segunda divisão nacional, em 1996, o Flu terminou sendo salvo por uma manobra política da CBF que o manteve na primeira divisão, logo, não pôde experimentar ser campeão; e em 97, em vez de tomar jeito, tomou foi outro coro, e caiu de novo para a Série B.

Em 1998, o time foi de novo, novamente, outra vez rebaixado, agora para o Campeonato Brasileiro Série C, quando, enfim, conquistou o incrível título de CAMPEÃO DA TERCEIRA DIVISÃO!

Em 2000, quando se preparava para disputar a segunda divisão, um problema jurídico entre clubes da Série A impediu a realização do Campeonato Brasileiro, sendo criada a Copa João Havelange pelo Clube dos Treze. Na organização desse torneio, foi utilizado o critério de "convite", e adivinhem quem foi "convidado"??? E por quem?? Salve-salve Eurico Miranda! (Se o vasco fez uma estátua do Romário, o time das Laranjeiras devia fazer uma do EuRRico...)

E foi assim, fantasticamente, que um clube campeão da Série C do Campeonato Brasileiro voltou a disputar a Série A sem nunca ter sido campeão da segunda divisão. Tudo o que você aprendeu sobre regras de futebol, não vale nada! Não pode ser sério...


A história da criação do Rio de Janeiro

MC tinha um texto, no seu perfil do orkut, que era, simplesmente, sensacional.
Depois sumiu. Depois voltou. Aí, sumiu de novo, e voltou. Segundo suas próprias palavras, "volta e meia coloco o texto lá."
Dia desses eu estava lembrando do texto, enquanto pensava em como esta cidade (a despeito de todas as forças contrárias) é maravilhosa, e não saía da minha cabeça a parte da estátua e a parte do domingo. Mas eu não lembrava das palavras exatas... Aí, fui lá e pedi à moça a íntegra do texto. E ela, carinhosamente, me mandou:

-É, o visual ficou bonito! Mas, Deus, quem vai viver aí?
-Vamos colocar gente trabalhadora, São Pedro.

-Boa! Gente que rale!
-Tudo bem, mas cria o happy hour.

-Que tal colocar surfista? Corais...
-Surfistas, aprovado! Mas tira os corais pra não machucar os meninos.

-E a segunda-feira, Deus, mantém?
-Mantém! Mas capricha no domingo. Domingo com futebol e samba!

-Agora o clima. Vamos encher isso aí de gelo!
-Tá louco, Pedro? Eu quero sol o ano inteiro, com uma hora a mais no verão! E coloca aí uma observação: pôr-do-sol cinematográfico!

-É, Deus, ficou bom, hein! Merece até uma estátua sua!
-Minha não... Eu não gosto de aparecer. Coloca uma do meu garoto."


terça-feira, 4 de março de 2008

Todo o castigo ainda é pouco...

Um advogado dirigia distraído quando, num sinal PARE, passou sem parar, mesmo em frente a uma viatura do BOPE. O carro do BOPE vai atrás do advogado e o aborda:
- Boa tarde. Documento do carro e habilitação.

- Mas por que, policial?
- Não parou no sinal de PARE, ali atrás.

- Eu diminuí, e como não vinha ninguém...
- Exato. Documentos do carro e habilitação.

- Você sabe qual é a diferença jurídica entre diminuir e parar?
- A diferença é que a lei diz que num sinal de PARE deve-se parar completamente. Documento e habilitação.

- Ouça policial, eu sou advogado e sei de suas limitações na interpretação de texto de lei; proponho-lhe o seguinte: se você conseguir me explicar a diferença legal entre diminuir e parar eu lhe dou os documentos e você pode me multar. Senão, vou embora sem multa.
- Muito bem, aceito. Pode fazer o favor de sair do veículo, senhor advogado?

O advogado desce e os integrantes do BOPE baixam-lhe o porrete. É porretada pra tudo quanto é lado. Tapa, botinada, cassetete, cotovelada etc.
O advogado grita por socorro e pede para pararem pelo amor de tudo quanto lhes seja sagrado.

O policial, então, pergunta:
- Quer que a gente PARE ou só DIMINUA?

segunda-feira, 3 de março de 2008

"Respectando"

Aí, que você liga a tv e estão entrevistando uma "famosa quem?". Na legenda, aparece: "musa do tapa-sexo" e eu realmente não tenho a menor noção de quem seja; nunca a vi mais gorda (nem mais magra).

Mas o grande lance, mesmo, e razão deste post, foi ouvi-la dizer (emocionada, eu imagino) que as fotos que a revista publicou são antigas, que ela havia feito há dois anos, mas que ficou muito feliz "com a respectividade do público".

A-ha! O público, então, "respectou" muito bem, segundo a moça. É isso?
Alguém me ajuda a entender??

Às vezes

Às vezes é preciso ofertar o silêncio, se a verdade é incompreensivelmente elucidativa.

Feliz Aniversário!


Zico
Orgulho da nação rubro-negra!

domingo, 2 de março de 2008

É dia de rir e pronto


É dia de rir, e pronto. Domingo é dia de rir.
Tem tristeza por aí? Vamos rir. Tem doença? Até por isso, mesmo, vamos rir. Faz sol? Cai  chuva? É tempo de rir. Rir ainda continua sendo o melhor remédio.
Bom domingo!!
Muitos risos!
"No stress"!

sábado, 1 de março de 2008

Feliz Sábado!!

O dia de ontem só acontece a cada quatro anos.
Por outro lado, vale pensar que o dia de hoje
só acontece uma vez.

Tenha um feliz sábado! Essa é uma oportunidade de ouro!!