terça-feira, 31 de agosto de 2010

A voz do povo é a voz de Deus???


Sempre fui uma apaixonada pelo Rubem Alves.
Muito me encantam sua inteligência, sua habilidade com as palavras, a analogia com as histórias da Bíblia, as metáforas, sua capacidade de nos envolver em suas conversas, o tom intimista de seus ensinamentos, a clareza das ideias, a beleza da pessoa, sua lucidez...
O texto abaixo foi escrito em 2002, e provavelmente havia um contexto político; talvez, sei lá, é bem possível...
É um texto atual, todavia; com ideias e lições bem mais amplas que meramente políticas, ou puramente ligadas a eleições e tal; é mais social e até afetivo do que político.
Vale a leitura.
E vale refletir: "a voz do povo é a voz de Deus" é, nada mais, que um dito popular.
Boa semana, pessoal!
Beijinhos e boa semana. Como diria um amigão meu: "Mas boa semana meeeesmo!!"

Se quiser conferir no original, clique AQUI.

(por Rubem Alves)

- O povo unido jamais será vencido: é disso que eu tenho medo. Com a democracia o “povo“ expulsou Deus da ordem política: Vox populi, vox Dei – a voz do povo é voz de Deus. Não sei se foi bom negócio porque o fato é que a vontade do povo é de uma imensa mediocridade. Na Bíblia o povo e Deus andam sempre em direções opostas. Bastou que Moisés se distraísse, no alto de uma montanha, para que o povo, na planície, se entregasse a um carnaval idólatra desenfreado. Voltando das alturas e vendo aquela farra Moisés ficou tão furioso que quebrou as tábuas onde os 10 mandamentos estavam escritos. E há a linda estória do profeta Oséias, homem apaixonado! Seu coração se derretia ao contemplar o rosto da mulher que amava! Mas ela tinha outras idéias. No fundo, era uma prostituta. Pulava de amante a amante enquanto o amor de Oséias pulava de perdão a perdão. Até que ela o abandonou... Passado muito tempo, Oséias perambulava solitário pelo mercado de escravos... E que foi que ele viu? Viu a sua amada sendo vendida como escrava. Oséias não teve dúvidas. Comprou-a e disse: “Agora você será sempre minha, para sempre...“ Pois o profeta transformou a sua desdita amorosa numa parábola do amor de Deus. Deus era assim, como ele. Amava um povo de todo o seu coração. Mas o povo que ele amava era uma prostituta. E a amava como prostituta, prostituta mesmo e não prostituta arrependida que virou santa de mãos postas e olhos revirados para o céu. Que Deus ama o povo-prostituta é fato. Mas que esse povo-prostituta seja digno de confiança está errado. Veja o caso dos profetas: foram homens solitários. O povo não gostava deles. Em nada se pareciam com esses padres e pregadores que agitam as massas, fazem reuniões espetaculares para milhares de pessoas e têm programas de televisão. Quem fazia isso eram os falsos profetas. O povo sempre segue os falsos profetas porque o povo gosta de mentiras. As mentiras são doces. A verdade é amarga. Os políticos romanos sabiam que é fácil enrolar o povo. Basta dar-lhe pão e circo. O povo se vende a preço barato. No tempo dos romanos o circo era os cristãos sendo devorados pelos leões. E como o povo gostava do sangue e dos gritos! As coisas mudaram. Os cristãos, de comida para os leões, se transformaram em donos do circo. O espetáculo cristão era diferente, mais perfumado: judeus, bruxas e hereges sendo queimados em praças públicas. Para a edificação da fé. As praças ficavam apinhadas com o povo em festa, se alegrando com o cheiro de churrasco e os gritos. Aconselho a leitura do livro de Noah Gordon O último judeu. Reinhold Niebuhr, teólogo moral protestante, escreveu um livro fascinante com o título Homem moral e sociedade imoral. Ele chama a nossa atenção para o fato de que os indivíduos, quando isolados, são seres morais. Eles são “perturbados“ pela voz da consciência que lhes diz: “Isso não deve ser feito“ ou “Isso deve ser feito“. Sentem-se “responsáveis“ por aquilo que fazem. Mas quando eles passam a pertencer a um grupo, a consciência individual é silenciada pelas emoções coletivas. Indivíduos que, isoladamente, são incapazes de fazer mal a uma borboleta, se incorporados a um grupo tornam-se capazes de linchar um indivíduo. Ou de pôr fogo num índio adormecido. Ou de matar friamente um homem sequestrado indefeso. Ou de jogar uma bomba no meio da torcida do time rival. Precisei fazer força para ler o livro do Saramago Ensaio sobre a cegueira. Fracassei na primeira tentativa. O livro me revolveu as vísceras. Foi demais. Não aguentei. Um ano depois eu retomei a leitura, aguentei o horror e fui até o fim. Saramago descreve uma cidade onde todos ficam cegos. Ficando todos cegos, os indivíduos perdem a sua condição de seres morais. E o que acontece é inimaginável. Indivíduos são seres morais. Mas o povo não é moral. O povo é uma prostituta que se vende a preço baixo. Meu amigo Lisâneas Maciel, no meio de uma campanha eleitoral, me dizia que estava difícil porque o outro candidato a deputado estava comprando votos a troco de franguinhos da Sadia. E a democracia se faz com os votos do povo. Seria maravilhoso se o povo agisse de forma racional, segundo a verdade e segundo os interesses da coletividade. Mas uma das características do povo é a facilidade com que ele é enganado. O povo é movido pelo poder das imagens e não pelo poder da razão. Na verdade, quem decide as eleições são os produtores de imagens. Os partidos tratam de comprar, a preço de ouro, os melhores produtores de imagens. Os votos, nas eleições, dizem quem é o melhor produtor de imagens... O povo não pensa. Somente os indivíduos pensam. Mas o povo detesta os indivíduos, isto é, aqueles que, em meio à irracionalidade coletiva, continuam a pensar. Uma coisa é o ideal democrático, que eu amo. Outra coisa são as práticas de engano pelas quais o povo é seduzido. O povo é a massa de manobra sobre a qual os espertos trabalham. Nem Freud, nem Nietzsche e nem Jesus Cristo confiavam no povo... Durante a Revolução Cultural na China de Mao-Tse-Tung, o povo queimava violinos em nome da verdade proletária. Não sei que outras coisas o povo é capaz de queimar. O povo alemão amava o Führer. O Führer também amava o povo alemão. O Nazismo era um governo para o povo. Tanto assim que ele fez criar, para o povo alemão, o mais famoso de todos os automóveis: o Volkswagen. Volk, em alemão, quer dizer “povo“... O povo unido jamais será vencido! Tenho vários gostos que não são populares. Alguns já me acusaram de gostos aristocráticos... Mas, que posso fazer? Gosto de Bach, de Brahms, de Fernando Pessoa, de Nietzsche, de Saramago, de silêncio, não gosto de churrasco, não gosto de rock, não gosto de música sertaneja, não gosto de futebol (tive a desgraça de viajar por duas vezes, de avião, com um time de futebol...). Tenho medo de que, num eventual triunfo do gosto do povo, eu venha a ser obrigado a queimar os meus gostos e a engolir sapos a repetir slogans, à semelhança do que aconteceu na China. De vez em quando, raramente, o povo fica bonito. Quando isso acontece, surge a esperança. Mas, para que esse acontecimento raro aconteça é preciso que um poeta entoe uma canção e o povo escute: Caminhando e cantando e seguindo a canção...

domingo, 29 de agosto de 2010

A chave de tudo é o equilíbrio, lembra?


O segredo de tudo é o equilíbrio...
Embargos de Declaração, feijão branco com carne seca, Agravo de Instrumento, arroz cateto, Agravo de Petição, salada verde, Ação Rescisória, tomates, Recurso Ordinário, mate, Mandado de Segurança...
Equilibrar a operadora do Direito com a operadora de fogão, num domingo de sol, não é fácil!!

sábado, 28 de agosto de 2010

Feliz Sábado!!

Hoje é sábado! Dia de alegria!
Tenho aqui minha pequena receita para um SÁBADO FELIZ, e vou compartilhar com você:
um sorriso no rosto - não importa a tempestade que por acaso esteja pondo a raso a sua vida; um bom papo com seu Deus e um abraço de irmão no seu próximo - eles que talvez tenham sido esquecidos na agitação da semana; por fim, uma canção, a mais linda, a mais gostosa de cantar - pra que haja festa, paz, serenidade, equilíbrio, ternura, descanso, e um espírito de gratidão no seu coração. Infalível! Pode acreditar: vem aí um sábado feliz.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Adélia Prado

Impressionista


Uma ocasião,

meu pai pintou a casa toda

de alaranjado brilhante.

Por muito tempo moramos numa casa,

como ele mesmo dizia,

constantemente amanhecendo.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Poesia no caminho...

O noticiário vive recheado de temas tristes. O que dá "ibope" é a desgraça, o que deu errado...
E de repente você se depara com ISTO, e uma sensação muito boa toma conta de você, porque, afinal, a vida é isso: um poema. E a partir de hoje, mais gente vai conhecer ou relembrar esse tipo de beleza, que nos é fundamental!

Viva o Rio de Janeiro!

domingo, 22 de agosto de 2010

E, de repente, na caixa de correio...

... você encontra a seguinte mensagem:

"O amor tem perseguido você, sagitário, mas você está tão envolvido em seu trabalho e nas possibilidades de novos contratos que nem tem percebido. Mesmo com seu regente e urano em movimento retrógrado, há grande chance de alguém bastante interessante cruzar seu caminho. Você precisa reaprender a leveza e a fé, pois está ainda preso nas dificuldades dos últimos muitos anos que passou. Retome lentamente seu tão conhecido otimismo e volte a olhar em torno de você. O amor está bem próximo."

Por mais que você não dê a mínima para esse tipo de previsão, não acredite nisso e entenda bulhufas dessa coisa de regente e movimentos retrógrados, bem que podia ser verdade...

sábado, 21 de agosto de 2010

Feliz Sábado!!

Alberto Caeiro in Pensar em Deus
"...Sejamos simples e calmos,
Como os regatos e as árvores,
E Deus amar-nos-á fazendo de nós
Belos como as árvores e os regatos,
E dar-nos-á verdor na sua primavera,
E um rio aonde ir ter quando acabemos! ..."

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

"Lady Murphy"

Você espera duas horas, de olhos fixos, bem abertos.
Sai pra um copo d'água. Volta 30 segundos depois...
...e perdeu.
Passou.

Ai, essa "lady"...

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Coisa de mulherzinha. E coisa de macho.

Coisa de mulherzinha, mesmo...

Dez horas da noite, vou à portaria falar com minha irmã. Esqueço o elevador e desço correndo pelas escadas. Último degrau, dou de cara com uma barata, no hall de entrada, e com o filho do vizinho, uma criança de uns dez anos.

Reação imediata da mulher:
paralisação total dos membros inferiores e superiores, deixando em movimento apenas a boca, que sussurra, escondida, com medo de a barata ouvir:
- "Danieeeeel... Mata, por favor..."

Entre risos (dele) e um quase-choro (meu), o garoto chuta a bicha quase na rua e me diz:
- Pronto!

Eu, ainda inerte, balbucio:
- Mas ela morreu? E foi parar na rua?

Rindo, ele diz:
- Quase. Ainda não. Mas peraí.
E a manda embora de uma vez numa pontaria e tanto.

Orgulhoso pelo feito, e muito gentil, ele mantém a porta aberta para que eu, enfim, consiga passar.
Eu agradeço como diante de um super-herói, e penso:

- É de pequeno que se faz um homem!

Agosto

‎"Para atravessar agosto é preciso antes de mais nada paciência e fé. Paciência para cruzar os dias sem se deixar esmagar por eles, mesmo que nada aconteça de mau; fé para estar seguro, o tempo todo, que chegará setembro..." (Caio F. Abreu)

sábado, 14 de agosto de 2010

Feliz Sábado!!

Você está gentilmente convidado
a ter um Sábado Feliz!!

Com carinho,
Suzi.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Ai, ai, ai...

...maridinho alemão pisando na bola
Coisas de sexta-feira 13...
Não tenho vontade de escrever mais nenhum post, só pra cara desse bebezinho de risinho preso continuar aí, me fazendo rir...

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Irresistível...

Duvido que, só de olhar essa carinha...
...você não tenha dado uma risada gostosa!!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Rapidinhas

Ela passou pra ela, que passou pra todo mundo, qualquer um, ou quem quisesse. Eu peguei, e se você quiser pode pegar também.

DAS COISAS QUE EU...

Adoro:
- Praia. Ficar lá o dia inteiro, sem hora pra voltar.
- Ter a família inteira reunida, contar histórias da infância, relembrar pessoas e fatos.

Gosto:
- Do cheiro de terra molhada quando começa a chover e do aroma dos grãos de café sendo moídos.
- De dormir muito, tipo onze horas direto...

Detesto:
- Sujar meus pezinhos.
- Cheiro de cigarro, de carne de porco no fogo, e de camarão fritando.

Odeio:
- Injustiça, em qualquer grau.
- Gente que joga lixo no chão.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

É a dúvida, mesmo, que mata

A dúvida é que mata. A ignorância, a certeza, ainda que equivocada, a segurança, ainda que enganosa ou ilusória, nos dão vida, ou sobrevida. A dúvida é que mata!

sábado, 7 de agosto de 2010

Feliz Sábado!!


“É bom pedir socorro ao Senhor Deus dos Exércitos/ ao nosso Deus que é uma galinha grande/ Nos põe debaixo da asa e nos esquenta/ Antes, nos deixa desvalidos na chuva/ pra que aprendamos a ter confiança n’Ele/ e não em nós.”

Adélia Prado in Terra de Santa Cruz

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Não basta passar por cima...

...tem que ESTACIONAR em cima!

"Mulher atropela oito motos em SP"
Leia aqui

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Histórias de amor - LIX

Ele sumira da rua por algum tempo. Teria viajado? - ela perguntava para si mesma a cada noite, depois que a sirene da fábrica tocava e as lojas cerravam as portas. Enquanto os ponteiros do relógio rodavam, o mistério rondava, e seu imaginário seguia povoado de suposições. Nesse passo, passaram-se dias. Mais lhe pareciam anos. A eternidade. Meu deus!
De repente, sabe-se como, tudo se deu. Ele surgiu na esquina. Ela surpresa sorriu seu sorriso de menina. Eram mesmo como crianças na padaria - ele, nas suas mãos, um suspiro; ela, com a doçura de seus olhos, encarava seu sonho...

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Dos amigos idos, dos amores partidos...
suspeito que o que mais me custa é a ausência do abraço.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Eu, hein!

Desde criança tenho mania de falar "Eu, hein!", das coisas que me causam estranheza.
Mas só percebi isso no dia em que meu irmão me escreveu um post de aniversário e publicou no blog da minha cunhada...
Eu, hein!

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

O que mata é a dúvida

Estava lendo o blog da Keiko, sábado de manhã.
Adoro os textos dela, que me fazem rir e, de certa forma, me levam pra perto daqueles dois pedacinhos de mim que foram morar naquele outro país...

De repente, num dos posts mais antigos, que falava sobre o primeiro cabelo branco na vida da pessoa, encontrei o seguinte trecho: Tudo começou há 4 anos, no casamento da minha melhor amiga. Casamentos de amigos são sinais dos tempos, quando sua turma de solteiros lentamente vai se tornando uma turma de casados e quando você menos percebe, o programa de sábado à noite mais divertido é assistir filme e comer pizza, em casa.

Parei de ler aí, nem me liguei mais no papo do cabelo branco, e comecei a pensar em outra coisa: no lance de "o casamento da minha melhor amiga...". Foi aí que me dei conta e então senti um certo alívio; me senti parte do meu próprio grupo. Vou te contar: é bom demais sentir-se parte do seu grupo! E mais: isso pode significar que não chegou esse tal "sinal dos tempos", pra gente!!

Minhas melhores amigas não se casaram, nem eu. Ráaaaaaa!!!

Esse sentimento de "não tem sinal dos tempos", e esse outro, de pertencença, são bons pa-ra-ca-ram-ba! É verdade que tenho amigos e amigas que estão casados, têm filhos e tals. Mas olha só: minhas melhores amigas, não!! E é por isso que continuamos a poder escolher, com o mesmo grupo, os programas de sábado à noite, o que inclui até assistir filmes e comer pizza, em casa, mas não necessariamente.

Só que eu não resisti e voltei pra leitura. Fui parar num outro post, de janeiro. E era aniversário de casamento da Keiko. Era um post do tipo "eu não poderia ter sido mais feliz, se não tivesse casado com você". Um post meloso, sim, de fazer chorar até os "duros de coração", o que nem é o meu caso, que choro até em comercial de margarina, na tv.

E aí, mermão, é que veio aquela pitadinha de "desmancha prazer"... Eu, tão feliz porque minhas melhores amigas, como eu, não casaram, e somos parte de um mesmo grupo, e afinal, não tem "sinal dos tempos" pra gente... me peguei na dúvida: e será que se fosse diferente eu poderia ter sido ainda mais feliz??


Droga! A dúvida é uma #$&%@ !!

domingo, 1 de agosto de 2010

Sabedoria enlatada

"O ideal seria aprender a caminhar entre a inteligente e a boba; a complacente e a exigente; a misteriosa e a aberta. Afinal de contas, nunca chegaremos a saber a ciência certa: se realmente os homens as preferem tão, tão burras..."

Los Caballeros las Prefieren Brutas
seriado da Sony, diretamente da terra de los hermanos