terça-feira, 25 de março de 2008

1968 * Passeata contra a censura

Você reconhece as moças da foto, na passeata?
Olhe direitinho. Você conhece.



“Eva Tudor, Tônia, Eva Wilma, Leila, Odete e Norma, mulheres do meu tempo, liderando uma passeata em 1968. Minha maior produção são os cartazes de protesto, da retomada dos sindicatos (as famosas Chapas Dois), dos shows estudantis, as camisetas, as marcas e slogans políticos que fiz às centenas, em preto e branco, durante vinte anos que se perdem por aí. Essa foto resgata um deles: um símbolo para mim.”

10 comentários:

marta r disse...

Belíssima foto esta. Por tudo o que representa.

guiga disse...

Não vivi esses tempos, mas ainda bem que alguém os viveu por nós. Temos muito a agradecer! :)
Beijos *.*

guiga disse...

Não vivi esses tempos, mas ainda bem que alguém os viveu por nós. Temos muito a agradecer! :)
Beijos *.*

Amigao disse...

Reconheci a Eva Tudor.
Em 68 era criança.10 anos depois começamos a enteder o que estava acontecendo no país.
As pessoas que nos leem Suzi, talvez não tenham idéia , mas nós somos a geração que brigou,protestou, gritou, pintou a cara,para que tivesse eleições diretas neste país.
Putz foi legar ter uma causa, na juventude.

Nina disse...

Nossa... que bacana...
A gente devia estudar mais história viu? Conhecendo o passado, valorizamos o presente e semeamos pro futuro.
beijocas!

dannycsv disse...

No Segundo Caderno do Jornal O Globo de Domingo, saiu uma matéria DE VOLTA À MULHER 80. Você viu? É sobre o Especial musical de 30 anos atrás que foi lançado em DVD. Maneiríssimo!
Bjs.

1a das Pimp! disse...

Adoro ver fotos antigas e deliciei-me a ver esta.
Beijos!

Suzi disse...

é... galera boa!
idealismos, sonhos, utopias, fé, causas, destemor!

Anônimo disse...

Já estava pronto para te perguntar "que história é essa de mulheres do seu tempo?" quando resolvi reler o post e só então percebi que é uma citação de Ziraldo. Afinal, nós temos aproximadamente a mesma idade, e elas não são do meu tempo...

Beijinhos ;)

Suzi disse...

hohohohoho!!
o melhor: eu, mais ou menos da idade de um anônimo! que espetáculo!