domingo, 30 de setembro de 2012

Aos poucos

Aos poucos você vai se resignando, vai se conformando.
Aos poucos você vai desacelerando o coração quando pensa em tudo o que aconteceu.
Aos poucos você vai preenchendo o vazio com a esperança do reencontro e a certeza de que tudo se fará novo.
Aos poucos você chora mais comedidamente.
Aos poucos, bem aos poucos, você começa a se sentir menos fraco e sua boca menos amarga.
Aos poucos você vai aprendendo a conviver com a saudade e com as lembranças sem que isso lhe impeça os movimentos.
Aos poucos, bem aos poucos, você consegue pensar na morte e dizer: "você não vai vencer para sempre, sua feia!" e não mais se sente apenas um perdedor ao lembrar que ela tirou de você alguém demasiadamente amado...
Aos poucos você percebe frutos da vida que se foi dos quais você nem sequer havia se dado conta, e se alegra, e se orgulha.
Aos poucos você se vê de novo sorrindo quando vê uma borboleta voando.
E com o tempo, quem sabe, os outros entendam que o luto é digno, faz parte, é honra, e que você, respeitosamente, vai carregar para sempre uma fitinha preta no seu coração, em memória daquele que se foi; mas aos poucos, bem aos poucos, você vai REVIVENDO... porque quem perde alguém que ama, morreu um pouco também e precisa tornar a viver.


"Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto."
(João 12: 24-25)

2 comentários:

Custódia C.C. disse...

Querida Suzi
Ando tão ocupada que não tenho tido tempo para te visitar.
Mais uma vez fica um abracinho e o desejo de que a tua dor vá aliviando devagarinho e que a saudade se transforme numa doce lembrança imtemporal.
Beijo

Suzi disse...

Obrigada, Ccc.
Obrigada mesmo! ;)