segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Dos desafios e da felicidade como viagem e não como destino

Há alguns dias aceitei o desafio de passar um dia inteiro sem reclamar de nada.
No final do dia, quando, vitoriosa, contei a algumas pessoas que havia vencido, percebi reações variadas, o que me fez pensar um pouco a respeito disso.


Teve quem dissesse que também topava o desafio, afinal, não era muito de reclamar. E eu confesso que me surpreendi com a declaração, porque eu mesma tenho tido toda a paciência do mundo para ouvir seus desabafos. Sabe alguém que quando você encontra tem sempre "mil coisas que não estão dando certo", pra reclamar te contar? É o marido que não é parceiro, o filho que só traz problemas, a vida que não está nada boa, o trabalho que tá angustiante, os amigos que não ouvem... Pois é. Mas a pessoa acha que "não é muito de reclamar"... Sabe, às vezes a gente nem se dá conta de que reclama tanto; pensa que tá só batendo papo... A gente não pensa naquilo que fala. E pensa que fala diferente.

Teve também quem dissesse: "Ah, isso é fácil!", mas nem cogitou de fazer a mesma coisa, mesmo que por um único dia. Também isso me fez pensar que às vezes não etiquetamos como "reclamação" comentários do tipo: "Ai, por que eu tenho que acordar tão cedo!?", ou "Caraca! Não dá pra parar de chover só um pouquinho não?", "Que calor é esse? Ninguém merece!", ou ainda aquelas inocentes frases: "Não aguento mais esse telefone, que não para de tocar!", "Tudo eu, tudo eu!", "Esse Faustão é um chato!"...
A gente pensa que está apenas falando uma coisa. Mas, não! Isso é reclamação mesmo. E a gente nem sente.
Aí eu te pergunto: é facinho assim como se diz, passar um dia inteiro sem reclamar de nada??

Mas houve também quem dissesse: "Que máximo! Vou tentar também!", mais ciente do exercício de autocontrole que vai precisar fazer, mas com desejo enorme de praticar a paciência e a tolerância.

De tudo, o que mais me impressionou foi o impacto do desafio na minha própria vida. Percebi que durante todo o dia eu fui mais comedida nas minhas palavras. Precisei pensar mais antes de falar qualquer coisa - e, veja bem, eu não sou uma pessoa que fala o que vem à cabeça, alguém que fala sem pensar; mas sou rápida, falo bastante; e esse controle me fez ter uma fala mais pausada, uma voz mais macia, até. Eu via uma coisa que não me agradava, e em vez de reclamar procurava pensar no que eu poderia enxergar de bom naquilo. Quando achava, eu falava do lado bom da coisa; se não, ficava quieta mesmo. Eu gostei muito.

É um desafio. Não pense que é uma brincadeira. Porque nós vivemos muito pilhados, na pressão, com mil responsabilidades profissionais, familiares, emocionais. Dar conta de tudo é trabalhoso, e reclamar é muito prático. Às vezes, até alivia.

Repare que se você começa a reclamar de alguma coisa com alguém que também tem motivos para reclamar do mesmo tema, a conversa flui, pode durar horas. Os argumentos se complementam que é uma beleza! E vocês cada vez falam mais rápido, com mais riquezas de motivos continuam reclamando, vão ficando estimulados a encontrar mais razões e fundamentos, e não se acalmam; ao contrário, a irritação vai crescendo.
Experimente contra-argumentar com alguém que está reclamando de alguma coisa (e sobre a qual você também teria mil motivos para reclamar) com o lado positivo daquilo tudo. Experimente. É bem provável que o outro se choque. Talvez até a conversa acabe ali mesmo. E pelo menos ninguém continuou reclamando.
Depois se orgulhe disso. Você terá seus méritos.

Quando digo que a felicidade não é um destino e, sim, um caminho, não estou brincando. A sensação de vitória ao final daquelas 24 horas foi muito boa; mas a felicidade, ao longo do dia, foi simplesmente incrível!

3 comentários:

Carolli Márol disse...

Olá,estou sorteando um exemplar do livro do pequeno príncipe la em meu blog (: se quiser participar é só clicar aqui http://www.carollices.com/2012/08/quer-ganhar-um-livro-do-pequeno-principe.html ^^ bjs

Custódia C.C. disse...

Suzi, mas é defícil ficar um dia inteiro sem reclamar absolutuamente de nada!!! Eu até posso tentar, mas não vai ser fácil e como dizia alguém no teu texto "eu até nem sou de reclamar muito..."
:):)

Suzi disse...

O mais oncrível foi isso mesmo, Ccc: ver alguém afirmar que "isso é fácil". Mas não é mesmo!!
É que muito do que chamamos "comentário", ou "bate-papo", é reclamação pura, e nem nos damos conta...
Mas tente. É muito legal!