sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Clarice e um pouco mais de ovos e de homens

“Os homens homenzavam, as mulheres mulherizavam, os meninos e meninas meninizavam, os ventos ventavam, a chuva chuvava, as galinhas galinhavam, os galos galavam, a figueira figueirava, os ovos ovavam.
E assim por diante.”

(Clarice Lispector in Quase de Verdade)

O ovo, sempre o ovo...
E eu, ovos à parte, me sinto cansada. Os homens homenzando, sabe? Nem sempre a vida corre assim, mansa, mansa, como pensava Dona Clarice, ou o Ulisses... vai saber quem é quem... A paciência precisa paciencizar...

7 comentários:

Amigao disse...

O ovo! Pois é.

Suzi disse...

Pois é... que coisa, hein!?

Custódia C.C. disse...

A paciência precisa paciencizar...
Agarremo-nos aí! Pacientemos! De vez em quando faz falta :):):)

Custódia C.C. disse...

Esqueci-me de comentar o ovo!!!

Só para que conste, ontem recebi uns ovinhos biológicos, daqueles de galinhas de verdade. Saiu uma omelete amarelinha, como há muito não via :):)

Suzi disse...

É, Ccc... Já dizia o Lenine:

"O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência..."

Podias escrever um post sobre os ovos e a omelete... E quem sabe até entrarias para a Academia Brasileira de Letras!

;)

paratudo disse...

Ando paciencizando "a lot", já que os homens não andam homenzando nem os clientes clientizando, kkkk.. sorte que Deus não para de deusar nunca!

Suzi disse...

Ou será que é justo porque os homens estão homenzando demais que a gente precisa paciencizar?? Porque, eu vou te contar...